terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O Natal está morto. Vida longa ao Natal!


Infelizmente é verdade, leitor amigo. O Natal morreu.
Aquela festa maravilhosa de antigamente, com ênfase na harmonia familiar, fartura na mesa de jantar e generosidade nos presentes e lembrancinhas. Casa decorada, tradições familiares revividas, alegria e paz. Não se vê muito isso hoje em dia. A data tornou-se mais uma obrigação social. O desejo de estar juntos e distribuir alegria com o próximo foi esquecido há mais ou menos duas gerações.


Não sei se era meu ponto de vista infante, mas o que vejo hoje desanima o espírito. Não há empolgação na montagem da árvore. Poucas pessoas se preocupam em montar um presépio. Prefere-se, hoje, reservar uma mesa em algum restaurante ou pagar entradas para alguma festa beira-mar. A tradição perdeu valor.

Como mudar isso? Não sei. E para ser sincero, talvez seja melhor assim. Os valores e costumes de uma sociedade tendem a mudar com a sociedade. Isso é obvio! Somos uma sociedade diferente daquela do século XX. Sonhamos com outras coisas, necessitamos de algo mais, temos problemas diferentes. Ou será que não?

O fato é que o Natal se aproxima. No entanto, boa parte da população apenas lembra disso quando assiste a algum comercial na TV.

Um comentário:

  1. Imagine aqui no Japão que eles nem sabem quem foi Jesus Cristo?
    O Natal daqui é comer bolo e dar presentes para as crianças, exceto a comunidade brasileira que faz a festa com arvores, jantar especial, ida à igreja, amigo invisível (que para os japoneses é uma novidade LEGAL).
    Nem tudo esta perdido Escrevedor...

    Abs!

    ResponderExcluir

Faça aqui um comentário sobre o post.