quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Como tomar decisões sobre pessoas

Aqui, opiniões de Peter Drucker sobre o processo de tomar decisões sobre pessoas:
De todas as decisões tomadas por um executivo, nenhuma é tão importante quanto aquelas a respeito de pessoas, porque elas determinam a capacidade de desempenho da organização. Portanto, é melhor tomá-las bem. (1)
[...] uma decisão não se torna efetiva a menos que os compromissos com a ação tenham sido nela embutidos desde o início. Na verdade, nenhuma decisão foi tomada a menos que sua execução em etapas específicas tenha se tornado a tarefa e a responsabilidade de alguém. Até então, ela não passa de uma boa intenção. (2)
[...] o tomador de decisões precisa se certificar de que as medições, os padrões de realização e os incentivos dos responsáveis pela ação sejam mudados simultaneamente. Caso contrário, o pessoal da organização será apanhado em um conflito interno paralisante. (3)
Essa é parte da visão de Drucker para a gestão de pessoas. Aplica-se ao setor publico? Segundo o autor, sim. Aplica-se à realidade do serviço público brasileiro? Não sei. Com a palavra, os estudiosos da gestão pública.

Fonte:

DRUCKER, Peter Ferdinand. A profissão de administrador. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. (1) página 32; (2) página 25; (3) página 26.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O Natal está morto. Vida longa ao Natal!


Infelizmente é verdade, leitor amigo. O Natal morreu.
Aquela festa maravilhosa de antigamente, com ênfase na harmonia familiar, fartura na mesa de jantar e generosidade nos presentes e lembrancinhas. Casa decorada, tradições familiares revividas, alegria e paz. Não se vê muito isso hoje em dia. A data tornou-se mais uma obrigação social. O desejo de estar juntos e distribuir alegria com o próximo foi esquecido há mais ou menos duas gerações.


Não sei se era meu ponto de vista infante, mas o que vejo hoje desanima o espírito. Não há empolgação na montagem da árvore. Poucas pessoas se preocupam em montar um presépio. Prefere-se, hoje, reservar uma mesa em algum restaurante ou pagar entradas para alguma festa beira-mar. A tradição perdeu valor.

Como mudar isso? Não sei. E para ser sincero, talvez seja melhor assim. Os valores e costumes de uma sociedade tendem a mudar com a sociedade. Isso é obvio! Somos uma sociedade diferente daquela do século XX. Sonhamos com outras coisas, necessitamos de algo mais, temos problemas diferentes. Ou será que não?

O fato é que o Natal se aproxima. No entanto, boa parte da população apenas lembra disso quando assiste a algum comercial na TV.