sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Quadrinhos para adultos [postagem adulta]

Há muito tempo os comic books (nossos conhecidos gibis) passaram a ser atração de jovens e adultos, apresentando histórias sérias e, muitas vezes, sobre temáticas polêmicas. Diante de críticas de mães norte-americanas, as grandes editoras tentam se defender. A final quadrinhos é ou não é para crianças? A resposta é NÃO!!!

Fonte: Universo HQ.

Segundo reportagem publicada ano passado no site Universo HQ (clique aqui para ver a matéria), mães norte-americanas protestam contra a presença de temas adultos em histórias de personagens como Batman, por exemplo.
Apesar do ditado popular dizer que mãe tem sempre razão, sou obrigado a afirmar que essas mães não sabem de nada. Alegar que não sabiam da mudança de foco para um público mais adulto é ignorância e comprovação de desatualização, já que essas mudanças vem ocorrendo desde o final da década de 70 do século passado.
O clássico das HQs: O Cavaleiro das Trevas
Batman e Canário Negro
A vinda de temas como drogas, sexo, desestruturação familiar, DST, pornografia, violência, preconceito, guerra, política, religião, dentre outros, está presente na indústria dos quadrinhos há décadas. A migração de foco para um público mais adulto não foi uma decisão empresarial, foi uma mudança natural do mercado. As próprias crianças deixaram de consumir esses materiais e os adultos vêm descobrindo essa forma de expressão cada vez mais.
O tema drogas sendo abordado nos anos 70.
Grande editoras, como DC Comics e Marvel Comics, não anunciam mais o foco em público adulto, porque não é mais necessário. Apenas em casos quando o conteúdo é apenas para maiores de 18 anos é colocado um alerta na capa - geralmente por conter cenas de nu frontal, satanismo ou violência extrema. No restante das obras, já existe entendimento que o material não deve ser entregue a crianças.
Capas de quadrinhos apresentando heroínas como as das imagens abaixo realmente precisam de aviso de que não devem ser entregues a crianças?
Sin City
Red Sonja
Elektra
Para os pimpolhos, existe material específico. Ou seja, se seu filho gosta do personagem Batman, procure publicações destinadas para a faixa etária dele. Geralmente é um material de fácil identificação por ter preço mais acessível (uma revista normal do Batman pode custar até quinze reais) e apresentar desenhos infantilizados na capa.
Assim, caso você se depare com uma resvista onde há, na capa, uma mulher seminua, sangrando, e com sombras demoníacas atrás dela, você não deve comprá-la para sua filhinha de cinco anos. Isso é mais do que lógico. No entanto aquelas mães "retardadas" dos Estados Unidos o fizeram e foram reclamar depois.
Mais uma vez o que vemos é muita gritaria e pouca conversa. Os pais que conversam com seus filhos sentem menos dificuldades em acompanhar o que estão lendo ou consumindo. Famílias não conversam mais e isso não é um problema causado pelas editoras de quadrinhos.
Quadrinhos é um assunto muito sério hoje. Há até museus dedicados a eles (clique aqui para ler mais sobre o museu). O mercado brasileiro também apresenta uma evolução do público alvo das editoras de quadrinhos. Nos pontos de venda, é comum encontrarmos duas seções de quadrinhos em locais separados: uma para quadrinhos para jovens e adultos, outra para quadrinhos infantis.
Quando The Dark Knight (Batman: O Cavaleiro das Trevas) foi lançado nos cinemas, era possível observar pais levando crianças de 5 ou 6 anos para assistir. Isso é um absurdo! Primeiro, é um filme denso e receado de cenas violentas; segundo, um roteiro complexo, onde os diálogos remetiam a problemas sociológicos que encontramos em nossas grandes cidades.
Poster do filme The Dark Knight
E por aí segue a lista de contra-indicações em levar crianças para filmes como esse. Ignorantes ao deduzir que seria um filme infantil, apenas pelo fato do protagonista ser o personagem Batman, alguns pais saíram da sala de cinema antes do meio do filme, como pude presenciar.
Um conselho que eu dou aos pais: tentem gostar do que seus filhos gostam. Se eles apreciam desenhos animados, assista com eles, conheça as histórias, os personagens. Se gostam de quadrinhos, leiam também. Tenho amigos que realmente participam do mundo dos filhos: enquanto os pequenos assistem a Ben 10, o pai está lendo Hellblazer (Constantine) da Vertigo.
Ben 10
Constantine
Censura é um mal que nunca deve ser alimentado. Essas associações de pais que tentam censurar histórias em quadrinhos deveriam se preocupar mais em conversar e compreender seus filhos do que tentar transferir a culpa de sua má educação para as editoras.
Abraços a todos.

Um comentário:

  1. realmente só pais retardados levariam seus filhos de 5 6 anos para assistir um filme como cavaleiro das trevas

    ResponderExcluir

Faça aqui um comentário sobre o post.