quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A hashtag #FederalEmGreve

Hoje, o site da rede social Twitter apresentou a hashtag #FederalEmGreve por alguns momentos no Trends Topics, indicando que esse foi um dos assuntos mais discutidos do dia. No Brasil, vários setores públicos estão iniciando movimentos grevistas contra a atual política do Governo Federal. Enquanto bilhões estão sendo gastos na Copa 2014 e Olimpíadas 2016, os servidores públicos de carreira sofrem com congelamento de salários e condições de trabalho complicadas.

Os servidores técnico-administrativos das instituições federais de ensino são a categoria com o menor salário base do funcionalismo público federal, levando em consideração os três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Ou seja, é a categoria com o menor salário base do Poder Executivo, que é a esfera governamental que tem os piores salários dentre os três poderes.

Desde o ano passado, várias tentativas de negociação não obtiveram sucesso e no dia 6 de junho de 2011 a categoria deflagou greve, tendo como principal reivindicação o salário base de três salários mínimos. Recentemente, o Judiciário decidiu que a greve é legal, embora 50% dos servidores devam desempenhar suas atividades para não desassistir a sociedade.

Em Pernambuco, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aderiu à greve nacional desde o início, mas o Campus Recife não teve grande adesão. Em Caruaru, no Campus do Agreste, por sua vez, teve mais de 90% de adesão, destacando-se no cenário estadual. Mesmo com a determinação da volta ao trabalho de 50% dos servidores, vários setores continuam em greve, como Biblioteca e Escolaridade.

Nacionalmente, várias Universidades observam agora o início do movimento grevista dos docentes. Fica no ar a questão: será que os docentes da UFPE também entrarão em estado de greve?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui um comentário sobre o post.