quinta-feira, 19 de junho de 2014

Nomes "Feios"?

Fonte: stockvault.net
Minha esposa e eu tivemos muito cuidado na hora de escolher o nome de nossa filha, Bárbara. Queríamos um nome bonito e forte, que pudesse ser reconhecido em várias línguas e não deixasse a criança exposta a piadas ou algo assim.

Imaginamos que nosso cuidado fosse comum entre os casais, mas o que mais vejo são pessoas com nomes de gosto duvidoso, como nomes de animais em língua estrangeira, pontos geográficos, nomes de plantas venenosas, e derivações bizarras e um ou mais nomes.

Esses nomes estranhos que encontramos provavelmente foram escolhidos por desconhecimento ou inocência, mas mostra como as pessoas não pesam os prós e contras em suas decisões e acabam fazendo as coisas por impulso.

Veja alguns exemplos de nomes estranhos:

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Pausa prorrogada

Há meses não faço postagens para o blog. A vida anda muito agitada e o tempo curto demais. Trabalho, casa, casamento, filha e cachorro eliminam qualquer tempo livre que você tenha.

Não me entendam mal, adoro a vida que tenho, mas a falta de tempo é um fato e seria a única coisa que mudaria se pudesse. No entanto, foge ao meu controle e alimentar um blog exige tempo, dedicação, paciência, etc.

Dessa forma, comunico que a pausa nas publicações será prorrogada por tempo indeterminado. Não excluirei os blogs "O Escrevedor de Caruaru" e "Vai, Shamira!", porque, mesmo sem novas postagens, as visitas diárias geraram uma renda de R$30,00 (trinta reais) no último ano. O valor é muito baixo, mas para que está há tanto tempo sem publicar, é algo interessante, sim.

Obrigado a todos e até qualquer hora!





quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Como tomar decisões sobre pessoas

Aqui, opiniões de Peter Drucker sobre o processo de tomar decisões sobre pessoas:
De todas as decisões tomadas por um executivo, nenhuma é tão importante quanto aquelas a respeito de pessoas, porque elas determinam a capacidade de desempenho da organização. Portanto, é melhor tomá-las bem. (1)
[...] uma decisão não se torna efetiva a menos que os compromissos com a ação tenham sido nela embutidos desde o início. Na verdade, nenhuma decisão foi tomada a menos que sua execução em etapas específicas tenha se tornado a tarefa e a responsabilidade de alguém. Até então, ela não passa de uma boa intenção. (2)
[...] o tomador de decisões precisa se certificar de que as medições, os padrões de realização e os incentivos dos responsáveis pela ação sejam mudados simultaneamente. Caso contrário, o pessoal da organização será apanhado em um conflito interno paralisante. (3)
Essa é parte da visão de Drucker para a gestão de pessoas. Aplica-se ao setor publico? Segundo o autor, sim. Aplica-se à realidade do serviço público brasileiro? Não sei. Com a palavra, os estudiosos da gestão pública.

Fonte:

DRUCKER, Peter Ferdinand. A profissão de administrador. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. (1) página 32; (2) página 25; (3) página 26.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O Natal está morto. Vida longa ao Natal!


Infelizmente é verdade, leitor amigo. O Natal morreu.
Aquela festa maravilhosa de antigamente, com ênfase na harmonia familiar, fartura na mesa de jantar e generosidade nos presentes e lembrancinhas. Casa decorada, tradições familiares revividas, alegria e paz. Não se vê muito isso hoje em dia. A data tornou-se mais uma obrigação social. O desejo de estar juntos e distribuir alegria com o próximo foi esquecido há mais ou menos duas gerações.


Não sei se era meu ponto de vista infante, mas o que vejo hoje desanima o espírito. Não há empolgação na montagem da árvore. Poucas pessoas se preocupam em montar um presépio. Prefere-se, hoje, reservar uma mesa em algum restaurante ou pagar entradas para alguma festa beira-mar. A tradição perdeu valor.

Como mudar isso? Não sei. E para ser sincero, talvez seja melhor assim. Os valores e costumes de uma sociedade tendem a mudar com a sociedade. Isso é obvio! Somos uma sociedade diferente daquela do século XX. Sonhamos com outras coisas, necessitamos de algo mais, temos problemas diferentes. Ou será que não?

O fato é que o Natal se aproxima. No entanto, boa parte da população apenas lembra disso quando assiste a algum comercial na TV.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

[Dica de Livro] O Mundo de Sofia

A Companhia das Letras relançou o clássico livro "O Mundo de Sofia" de Jostein Gaarder com uma bela edição neste ano de 2012. Se sua edição já está velhinha e desgastada, considere a compra dessa nova edição. Se ainda não conhece essa bela obro, recomendo a compra imediatamente, jovem padawan.


Segue a sinopse* para quem ainda não conhece:
Às vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões-postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo. Os postais são enviados do Líbano, por um major desconhecido, para uma certa Hilde Moller Knag, garota a quem Sofia também não conhece.
O mistério dos bilhetes e dos postais é o ponto de partida deste romance fascinante, que vem conquistando milhões de leitores em todos os países e já vendeu mais de 1 milhão de exemplares só no Brasil. De capítulo em capítulo, de “lição” em “lição”, o leitor é convidado a percorrer toda a história da filosofia ocidental, ao mesmo tempo que se vê envolvido por um thriller que toma um rumo surpreendente.
Para comemorar esse grande sucesso, a Companhia das Letras lança agora nova tradução de "O mundo de Sofia" — feita diretamente do norueguês — e novo projeto gráfico para toda a coleção de Jostein Gaarder.
I.S.B.N.: 9788535921892
Cód. Barras: 9788535921892
Reduzido: 4268066
Altura: 21 cm.
Largura: 14 cm.
Profundidade: 3,1 cm.
Acabamento : Brochura
Edição : 1 / 2012
Idioma : Português
Número de Paginas : 568
Tradutor : Leonardo Pinto Silva


(*) Retirado do site de compras da Saraiva.